terça-feira, 31 de março de 2009

Todos nós somos como Humphrey Bogart no Oscar.


Acho que a grande maioria das pessoas da minha idade mal sabe quem é Humphrey Bogart que com Ingrid Bergman viraram um casal mitológico no filme Casablanca.

Para falar a verdade eu só vi trechos deste filme. Eu nunca vi a película por inteiro. Mas não é do filme que quero falar e sim de dois episódios da vida de H.B (o anjo da cara suja) que mexeu comigo e a minha relação com Deus.


Cerimônia do Oscar - 1952 - Bogart recebe o prêmio de melhor ator. Concorrendo com Marlon Brando que tinha idade para ser o seu filho. Muitos esperavam do bad guy a seguinte cena - Ele sobe, fita a platéia em silêncio por alguns segundos e diz: “Muito bem, já não era sem tempo. Não devo nada a ninguém, ganhei porque trabalhei duro.” desaparecendo do palco e deixando todo mundo pasmo, mas o que acontece realmente é bem diferente. Foi com a voz embargada que improvisou um agradecimento banal e humilde citando os técnicos o diretor e Katharine Hepburn “Ninguém faz nada sozinho. Como no tênis, é preciso um bom adversário ou companheiro para darmos o melhor de nós mesmo.”

Eu não vou falar de gratidão. Mas sim de expectativas. Eu aposto que muitas pessoas ficaram frustradas com Bogart por ser humilde e frágil. Muitos esperavam o Bogart ríspido de língua ferina. Acho que isso acontece comigo, às vezes, as pessoas esperam de mim o Bogart mau, mas Jesus sempre espera de mim o Bogart do bem. A expectativa de Jesus é sempre o melhor de nós. Deus não está em um trono esperando você errar ou ser mau. Ele está no céu aguardando o seu melhor. Aguardando sim sua humildade. Muitos não aceitam a Jesus como o messias porque ele é o Bogart do bem. Para muitos é péssimo ter um herói que ama os inimigos e morre sem se defender. Dá agonia ver Jesus sendo tão bonzinho. A verdade é que ninguém faz nada só. Jesus só foi aquilo tudo porque tinha um bom adversário para lutar = Nós. Sem o ser humano Jesus nunca seria Jesus. Ele encontrou pessoas tão más que estão no nível contraposto da bondade dEle.

Bogart bebia e fumava muito e teve câncer no esôfago. Em 1956, fez uma cirurgia para retirar o esôfago e dois linfomas, mas era tarde demais. Ele morreu em coma no dia 14 de janeiro de 1957.

Bogart está morto, mas Jesus vive. Esperando sempre o melhor de você.

2 comentários:

  1. Sinto uma dificuldade absurda para esperar o bem de alguém (e de mim mesma)com tantos defeitos e erros. Gostaria de sentir o mesmo que Jesus e não apenas esperar que somente ele por mim. ;)

    ResponderExcluir